3 mentiras que te contam sobre investimentos

Postado em
Overclub Falily Office

Investimentos: três mentiras que te contam que você precisa estar atento.

Dizem que uma mentira contada por diversas vezes se torna a verdade. No mercado financeiro não é diferente.

Se preferir, assista ao vídeo

A sua casa própria é um investimento?

“Nossa, que coisa estranha falar isso…” Pode parecer estranho para muita gente, até porque nós somos criados com o sonho da casa própria, como se uma família conquistar uma casa própria fosse um grande objetivo patrimonial, ao ponto de as pessoas acabarem financiando o imóvel, sendo que neste caso, nem pertence à família, mas sim ao banco que ofereceu o empréstimo.

Ouvimos pais, tios, avós dizendo que “a casa onde você mora é o melhor investimento que você pode fazer”. Mas será que é um investimento?

A casa própria tem, sem dúvidas, suas vantagens. Mas aqui não estamos falando para você não comprar a casa própria, mas que ela não é um investimento.

Conforme já abordei diversas vezes, o papel principal do patrimônio é proporcionar qualidade de vida para a família, podendo esta ser direta ou indireta. No caso da direta, você utiliza diretamente seu patrimônio para comprar ou ter experiências. Se relaciona com ter qualidade de vida diretamente. A compra da casa pode te trazer isso. A indireta é quando o patrimônio te proporciona renda para que você faça aquilo que você bem entender da sua vida.

Por que a casa própria não é um investimento

Quando falamos sobre a compra da casa, poucas pessoas param para fazer a conta do quanto custa ter a casa própria em detrimento de não ter ela – postergando a compra ou vivendo de aluguel – no planejamento patrimonial.

Então as pessoas que normalmente falam que a casa própria é um bom investimento, trazem a questão de vender por um valor mais caro do que comprado. Entretanto, elas normalmente esquecem de colocar na conta os custos envolvidos, como manutenção, decoração, IPTU, reforma, etc.

Para fazer esta análise, estes custos deveriam ser considerados. Por conta disso, muitas pessoas que afirmam ter tido um ganho com a casa própria, apenas tiveram o valor corrigido pela inflação. Ou seja, se o seu rendimento não pagou nem a inflação, será que você de fato teve algum ganho com isso?

A casa própria pode não ser interessante como um investimento – podendo ser como sonho, como prazer, qualidade de vida direta. A casa própria não proporciona renda. As pessoas que não alugam a própria casa não têm renda e o ganho de capital é muito menor do que as pessoas imaginam, por conta dos custos.

O mais preocupante é a compra da casa própria no momento errado da vida, pois as pessoas não têm a menor ideia do que estão abrindo mão em termos de planejamento patrimonial para o futuro ao disponibilizar uma grande quantidade de capital num momento muito cedo da vida Isso pode comprometer completamente um planejamento, e por conta dessas falácias, onde ”casa própria o melhor investimento”, “quem casa quer casa”.

Então tem diversas frases que as pessoas ouvem e falam “caramba, realmente preciso ter uma casa própria para agora.” Você pode ter, mas será que o momento de você ter a casa própria agora mesmo, ou é melhor você esperar um pouquinho?

Quanto do seu planejamento patrimonial você pode estar comprometendo por fazer isso agora, ao invés de estar fazendo isso daqui a 10, 15,20 anos? Coloca isso no papel.

O custo de oportunidade

Vamos pensar no custo de oportunidade. O custo de oportunidade, é basicamente o seguinte: O que você poderia estar fazendo com esse dinheiro, qual tipo de rendimento você poderia ter com este tipo de investimento em outro lugar.

Então pega um imóvel, uma casa própria de dois milhões e vamos imaginar que ao invés de você investir esses dois milhões num imóvel – e vamos supor que este móvel tenha rendido a inflação, que ele conseguiu pelo menos pagar a inflação ao longo do tempo.

Se pegar esses dois milhões ao invés de comprar a casa própria você colocar no título público, que hoje paga a inflação mais 5,38.

Em 34 anos você transformaria esses dois milhões em 11,7 milhões. O que significa? No seu bolso, uma renda mensal de r$ 39000. Agora você consegue tomar uma decisão muito mais fácil!

Então é o seguinte: quero ter a casa própria e quero comprar ela agora. Saiba que se você planeja ter uma renda no futuro, isso pode ser uma renda de r$ 39000. Se for o caso, por volta de r$ 32000 se formos pensar líquido de Imposto de Renda.

Ou seja, é uma bela diferença. Cabe a você saber o momento de fazer isso, e sabendo que você está abrindo mão. O problema é que as pessoas compram a casa própria muito cedo durante a vida e comprometem completamente o planejamento patrimonial simplesmente por não terem feito uma conta como essa.

O que é mais importante para você

Observamos aqui no Overclub que as famílias mais ricas que nós atendemos, tem no máximo 15% do patrimônio em casa própria. Ou seja, se você tiver um o patrimônio de 10 milhões, seria adequado você ter uma casa própria de 15%, até um milhão e meio, por exemplo.

Não é uma regra, é uma observação que fazemos aqui no nosso escritório.

A regra principal é o seu planejamento patrimonial. É você montar o seu contentamento e entender aquilo que você está abrindo mão, em termos de ter essa casa própria.

E se valer mais a pena, se você realmente entender que você está abrindo mão e você estiver ok que com isso, vai em frente.  O importante é você saber. Então, a grande ideia é você montar o planejamento e saber “eu prefiro uma renda de r$ 50000 por mês sem a casa própria, sem esse apartamento, essa casa dos meus sonhos ou eu prefiro uma renda de 39000 e uma casa de 2 milhões e meio “.

É justamente isso, são números. Você tem que colocar no papel e saber o que é mais importante para você. Saber do que você está abrindo mão.

Sente-se com sua família e decida. É muito importante saber do que você está abrindo mão para poder tomar uma decisão financeira. E principalmente observar o financiamento com muito cuidado, pois é muito comum que as pessoas que financiam apartamentos não tenham noção do quanto vão pagar pelo imóvel. Elas pagam 2 A 3 vezes mais o valor da casa ou do apartamento simplesmente por financiarem e não comprar à vista.

Investimentos garantidos, investimentos sem risco

A segunda mentira que se conta bastante no mercado financeiro sobre investimentos é que “tal investimento é garantido ou não tem risco”. Não existe investimento sem risco, não existe investimento que é garantido. O que acontece é que os investimentos têm mais ou menos risco. Quando alguém te falar a palavra garantia no mercado financeiro fuja, pois isso não existe.

Como em todo mercado, no mercado financeiro você também tem os maus profissionais. Então é muito comum ouvir expressões como “ah, esse investimento é garantido”. “O investimento do banco é garantido”.

Era muito comum a 3, 4 anos atrás – isso vem mudando com uma velocidade absurda – ao conversar com possíveis novos clientes, as pessoas falavam “ah Walter muito legal, entendi, gostei, achei interessante como você consegue melhorar os resultados para que eu consiga atingir meu planejamento financeiro, mas eu prefiro ganhar menos no banco do que ser cliente de uma corretora com mais risco”.

Garantias

O banco não vai garantir nada para você. O risco de um investimento está no investimento, está naquilo que você faz. Se você investir numa ação da Petrobras através do Itaú, através do Bradesco, através da XP através do BTG através da corretora qualquer, o risco vai ser daquela ação que você comprar.

É como você comprar um imóvel através da imobiliária A ou através da imobiliária B, o imóvel está no seu nome, o imóvel é seu, então o risco. Não é através de onde você faz aquele investimento, mas sim qual o investimento que você faz.

Obviamente tem alguns investimentos que possuem emissores, nesse caso é o risco de quem faz aquele investimento, por exemplos, os CDBs, ativos de renda fixa – onde renda fixa nada mais é do que você estar emprestando dinheiro para alguém e alguém se pagar a mesma coisa crescido de um juro numa data futura. O seu risco é essa pessoa não pagar. Alguns investimentos de renda fixa tem um seguro, que é o fundo garantidor de crédito até o limite de 250 mil. Então, o risco na grande maioria dos casos não está em quem distribui esse tipo de investimento, mas está de fato onde você investe.

É preciso ter atenção aos grandes bancos

Tem um fato curioso que aconteceu comigo há bastante tempo há cerca de 8 anos mais ou menos.  Naquela época era completamente inviável fazer qualquer tipo de investimento através de uma corretora, quase 100% dos investimentos feitos no Brasil eram realizados através dos grandes bancos, principalmente previdência privada.

E foi esse um caso muito interessante. Um dos maiores bancos do país tinha cliente bem grande e eu já estava atendendo esse cliente, e tinha uma previdência privada gigante lá no banco, e recomendamos fazer uma mudança pois o plano de previdência tinha altíssimas taxas e era completamente fora do planejamento daquela família.

Esse grande banco pediu para que marcássemos uma reunião, visto que a cliente solicitou a portabilidade – que seria tirar a previdência de um lugar e colocar em outro. E disse que cliente estava fazendo uma grande bobagem, visto que “ela iria sair de um grande banco onde o investimento era garantido para uma corretora onde era muito perigoso e arriscado”.

Obviamente, o cliente não tem conhecimento sobre mercado financeiro, nós fazemos toda a parte de gestão patrimonial para eles, e tivemos essa conversa. Quando eu cheguei na sala, foi engraçado pois o banco não sabia que eu participaria da reunião como consultor.

Tinham três pessoas dentre elas, o gerente geral da agência, o superintendente de previdência daquele banco e uma terceira pessoa sobre a qual não me lembro bem. E os primeiros argumentos foram os seguintes: é “Olha, você está tirando o investimento deste banco e indo para uma corretora, e um investimento do banco é garantido”.

No momento que a pessoa terminou de falar, questionei por que o investimento era garantido e me disseram “Walter, veja bem, investimento é garantido pelo Bradesco”. E eu disse “mas este investimento tem 40% de título público, e a segurança, está nos ativos que ele investe.

Este outro investimento que recomendei para o cliente tem 90% de título público. Como você me explica que este primeiro investimento é garantido e este outro não é? O resumo da ópera foi muito engraçado. A pessoa ficou sem entender, nem o superintendente da agência sabia…

Todo investimento tem riscos

Até grandes bancos utilizam dessas mentiras de que investimentos são garantidos para manter, ou para conseguir novos clientes, quando na verdade não é.

Então é muito comum as pessoas caírem nessas de “investimento é garantido”, porque isto é falado o tempo inteiro, até no mais alto escalão dos maiores bancos do Brasil, isso é falado em reuniões.

Ou seja, não existe investimento garantido! Tente entender qual é o nível de risco, o nível de segurança daquele investimento, e entenda se ele é ou não para você. Agora, garantindo, não é.

E o banco não vai garantir essas operações. O quarto maior banco de investimento dos Estados Unidos chamado Lehman Brothers quebrou. Se você tiver um investimento num grande banco e aquele investimento se der mal, você vai perder o seu dinheiro.

Investir é muito difícil?

E a terceira mentira que preparei para vocês: é que investir é muito difícil, é muito complicado. Olha, o mercado financeiro é sim um ambiente complexo, as pessoas querem que seja o mais complexo possível, para que você acabe de alguma maneira dependendo delas.

Mas a grande verdade é que no mercado financeiro, diferentemente de outras áreas, é possível você ter um resultado interessante, sem saber tudo que você precisa. Por exemplo, não vou fazer uma cirurgia melhor do que um neurocirurgião, mais um investidor com algum conhecimento, disciplina, paciência e consistência na sua estratégia pode sim ter um resultado melhor do que gestores de recursos. Isso é possível no mercado financeiro e raramente isso é possível em outras áreas.

Planejamento financeiro

O primeiro passo para você conseguir ser um investidor bom, de sucesso, é ter um planejamento financeiro. É importantíssimo você saber para onde você está indo, o que você planeja com a sua vida, qual tipo de patrimônio você precisa acumular, como você vai fazer para acumular esse patrimônio, o quanto você precisa guardar, qual que é rentabilidade mínima que você precisa para acumular esse patrimônio.

Não tente planejar, fazer um projeto de uma casa imaginando que você vai construir aquela casa em um mês pois você não vai. Agora, você precisa de um tempo, então você consegue esperar, entender o quanto, de fato, você precisa de retorno para conseguir alcançar esse seu projeto de renda passiva, por exemplo.

É muito importante isso, senão você acaba ficando muito suscetível e caindo nesses contos de “fique rico e rápido”.

Enriquecer devagar

Aliás, teoricamente teve uma conversa entre o Jeff Bezos e Warren Buffet, onde o Jeff Bezos disse para Warren Buffet “se a sua metodologia de investimento é tão simples, porque não temos por aí tantos investidores de sucesso?”. Warren Buffet respondeu que “Porque as pessoas não querem ficar ricas devagar”, e é justamente isso. O projeto de uma boa casa para você construir, demora, leva tempo. Você precisa planejar, fazer fundação, entender como vai ser, enfim… Montar um planejamento patrimonial exatamente igual. Não adianta você querer ficar rico da noite para o dia, pois você vai acabar focando sem energia em coisas que não estão no seu controle – que é tentar achar a nova Magalu, Apple, Amazon, Tesla.

Foque naquilo que está no seu controle, foque em construir um jogo de cada vez, alocar com consistência em bons investimentos, que no futuro você vai chegar lá. Obviamente monitore, para saber se você ainda está fazendo isso certo. Agora, investir não é tão complicado assim. Você precisa ter disciplina, paciência e entender o mínimo necessário para não cair nestes contos e para fazer bons investimentos.

Conclusão

E se você é uma pessoa que não gosta de jeito nenhum de estudar, você pode contar com a assessoria de algum escritório. Inclusive se você tiver mais de 5 milhões de reais, você consegue contar com assessoria de um Multi Family Office, de um Private Bank, se você preferir continuar no banco.

Você tem alternativas. Mas hoje, se você é um cara que gosta de estudar, existem sites, blogs, YouTube é uma ferramenta ótima. Pessoalmente prefiro consumir conteúdos em vídeos muito mais do que por leitura, apesar de ter um monte bons por aí. Ou seja, hoje é muito fácil você ter um conhecimento suficiente para gerar resultados para você, se você quiser. Ou, você pode contar com assessoria de algum escritório.

Leia também: As 7 Lições Financeiras do Round 6 da Netflix

Siga nosso Instagram: @overclubfamilyoffice

Compartilhe:

Publicado por

Walter Moreira Neto, CFP®

Graduado pela Macquarie University (Business) e Masters em International Business pelo International College of Management Sydney (ICMS), morou em Shanghai, China, onde concluiu sua tese "Real Estate in China" pela Fudan University.
Sócio-fundador do Overclub Family Office e Ryde Corretora de seguros, é Consultor de Valores Mobiliários autorizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Planejador Financeiro, CFP®️

Overclub Falily Office

Deixe um Comentário