Consultoria financeira, vale a pena?

Postado em
Overclub Falily Office

Quão confortável você está de que a sua estratégia de investimento vai te proporcionar a rentabilidade necessária para você viver bem?

E o quão confortável você está com as recomendações de investimento do seu assessor financeiro? Você está realmente confortável de que essa é a estratégia correta para os seus interesses e não para os interesses da outra pessoa?

Se você quer saber um pouco mais sobre consultoria financeira, fique por aqui.

Se preferir, assista ao vídeo

 

 

Dúvidas de quem cuida do próprio patrimônio

Se você já investe, provavelmente você utiliza uma dessas duas maneiras ou você cuida do seu dinheiro e do seu patrimônio, ou você delega para alguém fazer isso.

Eu vou falar agora com você que cuida do seu patrimônio. Se você já cuida do seu patrimônio, provavelmente você deve ter algumas dúvidas na sua cabeça.

Algumas delas podem ser:

  • Será que eu tenho habilidade técnica suficiente para fazer a gestão do meu patrimônio?
  • Será que eu tenho tempo para aprender essa habilidade técnica requerida para fazer essa gestão de maneira eficiente?
  • Ou será que aquele investimento da moda, como as criptomoedas, é importante para minha carteira? Ou será que é o momento de me posicionar nesse ativo?

Então, essas são algumas dúvidas que surgem na cabeça de quem investe sozinho.

Dúvidas de quem tem uma assessoria para cuidar do próprio patrimônio

Agora, falando com você que tem uma assessoria e que delega, tendo alguém te ajudando ou até fazendo por você.

Quão confiante você está de que a estratégia que segue hoje realmente é do seu interesse?

Se realmente vai de encontro com o que você precisa de retorno e de segurança para você viver uma vida melhor?

O quão confiante você está de que os instrumentos e os produtos financeiros oferecidos realmente são do seu interesse e não comissionamentos da pessoa que está te auxiliando?

Ou seja, são algumas perguntas que você deve se fazer, seja você que investe sozinho e precisa cuidar do seu próprio patrimônio ou você que tem uma assessoria.

É importante colocar na mesa e entender se há alguma maneira mais eficiente e melhor de fazer isso. Porque possivelmente, a ajuda de um consultor financeiro pode ser interessante para você.

Por que ter um consultor financeiro?

Normalmente as pessoas pensam: “será que eu preciso de uma ajuda mesmo, de um consultor financeiro?”

O pensamento geralmente deve ser o seguinte. Se você for pagar por um consultor financeiro, ele precisa te entregar um retorno maior do que você conseguiria sozinho.

Se não, não é preciso ter um consultor. Ou seja, se você sozinho consegue um retorno de “10” e seu consultor te entrega “12” de retorno, vale a pena. Se ele entregar menos do que isso, não.

Seria uma analogia muito parecida, por exemplo, com um personal trainer. Você só precisa de um personal trainer se ele conseguir melhorar os seus resultados, sua saúde, o seu corpo.

Se ele fizer um trabalho que te piore ou que não te ajuda a chegar nos resultados, não vale a pena.

Mas no mercado financeiro é um pouco mais difícil, porque não tem como você ter garantias de quanto você vai receber a mais por um determinado serviço.

Então, você não sabe se aquele consultor financeiro vai conseguir te ajudar a ter 12, 13 ou 14% enquanto você sozinho tem 10% de retorno.

Não dá para ter garantia. Mas é possível estimar.

Existem estudos que dizem que você consegue sim estimar qual é o tamanho do benefício, em termos percentuais, que o consultor financeiro consegue adicionar para os seus investimentos.

Segundo estudo da Vanguard, uma das maiores instituições financeiras do planeta, a ajuda de um bom consultor financeiro consegue adicionar até 3% de incremento no retorno da sua carteira de investimentos.

Então, agora ficou mais fácil. Se o consultor conseguir incorporar e incrementar 3% de retorno na sua carteira e ele cobrar menos do que 3%, faz sentido ter um consultor financeiro, correto? Errado!

E aí é que entra o grande pulo.

O papel do consultor financeiro

As pessoas de maneira geral pensam que o consultor financeiro vai te mostrar quais são as melhores oportunidades de investimento, aquelas a que você não tem acesso, e que por isso vai melhorar a sua rentabilidade.

E ainda acham que esse mesmo consultor vai conseguir te mostrar o melhor momento de você sair daquele investimento que não é tão legal e fazer o que a gente não recomenda, que é o Market Timing, que é escolher o melhor momento para entrar ou sair de cada investimento.

Alias, tem um conteúdo sobre Asset Allocation, onde falamos bastante sobre Market Timing e vale a pena conferir.

Então não é esse o grande papel do consultor. Não é aí que ele irá te gerar o maior valor agregado.

O consultor financeiro irá te ajudar em diversas áreas, que tangem o seu patrimônio. E sim, é esperado um aumento de retorno e de rentabilidade, mas por vias diferentes do que as pessoas geralmente imaginam que sejam, como escolhas de produtos que elas não tenham acesso.

O consultor irá olhar o seu patrimônio como um todo, e vai conseguir entender o que você precisa e buscar de diversas formas ter um pouquinho de retorno acumulado em cada uma das áreas.

Na verdade, o principal papel da consultoria financeira é a preservação de capital daquela família ou daquela pessoa, e não simplesmente um incremento absurdo na rentabilidade.

Isso porque a preservação de capital ao longo do tempo, é tão ou mais importante do que o retorno.

A grande maioria dos investidores de sucesso se preocupam muito mais em não cometer besteira ao investir do que tentar acertar aquele investimento que vai resolver o problema de todo mundo.

Nesse outro estudo da Vanguard, o maior valor adicionado de um consultor na parte de Wealth Management não é na seleção de ativos, na alocação de capital.

Ou seja, esses 3% que o estudo diz que o consultor financeiro consegue agregar na carteira do investidor, vem de outras áreas, como por exemplo as finanças comportamentais.

Como Warren Buffet diz, investir não é um jogo onde o cara com 160 de QI ganha de alguém com 130.

Finanças comportamentais

Um dos maiores benefícios de se ter uma consultoria financeira é que ela pode te ajudar com finanças comportamentais.

Esse é um tema muito interessante e muito estudado hoje em dia. E é um dos maiores pontos que contribuem para esse resultado de até 3% de retorno.

O estudo diz que o resultado pode ser de 1 a 2% de incremento e retorno somente se você tiver noção de vieses comportamentais e conseguir evita-los.

Por exemplo, se você tiver uma carteira que renda 10% ao ano durante 20 anos, no caso de uma carteira com 10 milhões, lá no final, terá algo em torno de 67 milhões.

Se ao invés de 10%, você tiver 12%, você terá desses 10 milhões 96 milhões em 20 anos. É uma diferença de quase 30 milhões.

Ou seja, apenas com 2% de retorno a mais você consegue ter essa grande diferença.

Mas o que é afinal um viés de comportamento?

Eles são atalhos de raciocínio que o cérebro toma para que possamos tomar decisões de uma maneira mais acelerada.

Imagine que você está na rua andando e de repente vê uma multidão de pessoas correndo na sua direção. Você provavelmente não irá parar para pensar no porque aquelas pessoas estão correndo, você vai correr também.

Isso é um viés comportamental, você toma decisões de forma muito rápida.

Apesar de ter serventia antigamente, e ainda em algumas situações ele ter valia, ao falar de investimento precisamos ter uma análise de dados mais apurada. Isso para que não sejamos levados por uma decisão muito rápida que deveria ter sido mais pensada e correta.

E existem diversos vieses que acontecem todos os dias e só da gente saber que eles existem, já é uma forma de se precaver e não cair neles.

As vezes os vieses são muito bons e nos ajudam a tomar decisões muito rápidas, já que tem assuntos em que não haverão tantos prejuízos assim.

Mas quando o assunto é investimento e a gente precisa ter um pouco mais de informação para tomar uma decisão mais assertiva, aí sim é importante estar ciente de que existem esses vieses e que todos nós somos suscetíveis a cair neles.

É preciso entender mais para tomar uma decisão assertiva de investimento. Então, é muito importante que a gente saiba sobre isso.

Viés da disponibilidade

Esse viés acontece toda hora, principalmente quando o assunto é gestão patrimonial e investimentos.

Quanto mais rápido você consegue lembrar de um exemplo para um determinado acontecimento, mais provável, na sua mente, de ele ocorrer.

Mas como funciona isso?

Imagine se alguém viesse te perguntar se é perigoso ou não viajar de avião. Se tiver acabado de acontecer um acidente aéreo, possivelmente você irá dizer que é arriscado andar de avião.

Mesmo sabendo que o avião talvez seja o transporte mais seguro do mundo.

Um outro exemplo aconteceu na Eurocopa. Cristiano Ronaldo, um dos maiores jogadores de futebol do mundo, trocou uma garrafa de Coca Cola por uma garrafa de água durante uma entrevista.

Mas o que isso tem a ver com investimentos? Basicamente as ações da Coca Cola caíram 4 bilhões de dólares em valor de mercado.

Ou seja, se eu perguntar hoje para alguém se é arriscado investir na Coca Cola, possivelmente mais pessoas hoje dirão que é sim arriscado ou que não é tão seguro assim, que Coca Cola não é saudável e outras teorias.

Mas quando você para pra analisar uma empresa, você entende que as pessoas não vão deixar de consumir Coca Cola simplesmente porque o Cristiano Ronaldo disse.

Sendo assim, é importante você entender que tem um viés ali e que as pessoas viram as ações caindo e por isso elas podem simplesmente vender as ações de uma empresa que vende um produto e gera lucro e seria a longo prazo um bom investimento.

Mas isso não aconteceria se você caísse nesse viés da disponibilidade. E um consultor financeiro pode te ajudar a identificar esse viés e fazer com que você permaneça investindo, ou até se aproveite de situações como essa onde o preço de algum ativo cai sem ter uma contrapartida fundamental para isso.

O valor do consultor financeiro para você

Você deve olhar para um consultor financeiro como um clínico geral. Aquela pessoa que vai gerar um valor agregado para você, mas não só por olhar os seus investimentos. Mas por olhar o seu patrimônio como um todo.

Um bom consultor financeiro tem que saber o seu planejamento patrimonial, tributário, sucessório, investimentos no exterior, crédito, enfim. Ele tem que entender de diversas áreas e ele vai gerar esse valor agregado para você na soma de tudo isso.

Ele vai te recomendar um seguro importante para você ter e que você não tem, ou cancelar um determinado seguro que você tem e que não precisa, montar uma carteira de investimentos que seja interessante para o longo prazo e focando em preservação de capital.

Aliás, se você quer contratar um consultor porque ele vai te gerar mais rentabilidade, esquece, não é esse o papel do consultor.

Ele não vai te gerar uma rentabilidade do dia para a noite e nem te deixar rico do dia para a noite com um investimento mirabolante. Não é esse o papel de um bom consultor financeiro. Ele irá te gerar um valor agregado em todas essas áreas.

Como eu disse, é importante que você olhe o consultor como se ele fosse um clínico geral.

Se você for num bom médico e dizer que está com dor de cabeça, ele irá parar para te examinar, pedir alguns exames, e aí sim ele irá chegar com um diagnóstico e com um tratamento para isso.

Ele pode até te prescrever um medicamento que você pensou no começo, mas ele irá fazer isso apenas após uma série de pesquisas sobre o que você tem, e não te prescrever um remédio sem investigar.

O consultor financeiro vai fazer a mesma coisa. Por isso que é imprescindível que o consultor financeiro faça um mapa patrimonial.

Então, é importante que o consultor financeiro saiba onde você está, onde quer chegar, porque esse tipo de informação é muito útil e imprescindível para que ele consiga montar a estratégia de trabalho dele no que inclui – mas não se limita – a alocação de recursos.

Bom, provavelmente, agora, você já começou a modelar na sua cabeça se faz sentido ou se não faz sentido você contar com a ajuda de um consultor. Mas a gente precisa aprender como acessar um consultor financeiro de verdade.

Como acessar um bom consultor financeiro?

Vamos colocar aqui alguns passos para que você consiga avaliar e achar de fato o seu consultor financeiro.

O consultor precisa ser registrado na CVM

A primeira coisa é que você precisa se certificar de que a pessoa escolhida é de fato um consultor financeiro. Existem diversas terminologias por aí:

  • Assessor de investimentos;
  • Coach financeiro;
  • Gestor de patrimônio;
  • Gestor especialista.

Ou seja, tem uma variedade de terminologias por aí, mas o consultor é registrado no site da CVM e é autorizado por ela.

A CVM é uma autarquia que cuida dessa parte de regulação do mercado financeiro no Brasil.

E para verificar isso é muito simples. Joga no Google: “Lista consultores investimento CVM”.

No primeiro link que aparecer lá, clique, entre e coloque o CPF e o nome da pessoa que você imagina que seja consultor e vai aparecer se essa pessoa é ou não registrada na CVM.

CFP

Para ser um bom consultor financeiro, um consultor de excelência, é importante também que esse consultor tenha o selo CFP do lado do nome dele.

Que nada mais é do que o Certified Financial Planner. Quem dá essa certificação de excelência e de qualidade de trabalho é a Planejar. A CFP diz que aquele profissional é competente e abrange tudo que é necessário para fazer um planejamento financeiro e uma alocação de recursos.

Então entre no site da Planejar,  e você verá o “buscar planejador”. Lá, você vai ver a lista de todos que são CFP.

Forma de remuneração do consultor

Então já vimos se ele é registrado na CVM, se ele é regulado e se tem um grau de excelência alto. Importante saber se esse consultor é vinculado com alguma instituição financeira ou com um grande banco, porque nesse caso ele fica de mãos atadas pois talvez só possa fazer seu trabalho através de uma instituição.

E por fim, é muito importante saber qual é a forma de remuneração desse consultor.

Se ele é um consultor que recebe rebate de produtos e que ele pode vir a ter algum conflito de interesse em relação a recomendar ou a indicar um produto financeiro que seja mais rentável para o bolso dele e não para o seu.

O mais interessante é que quem remunere o consultor seja você, que você saiba exatamente quanto está pagando pela consultoria financeira, evitando assim um conflito por recebimento de rebate de produtos.

Esses são os principais pontos de um checklist para você poder escolher um consultor que seja interessante para você.

Conclusão

Se você entende que você não tem habilidade técnica para lidar com seu patrimônio e não tem tempo para aprender essa habilidade e se você consegue enxergar valor agregado numa consultoria, não só pelo fato de aumentar em rentabilidade e seleção de produtos, mas sim por um monte de outras partes que o consultor pode agregar, talvez seja interessante ver a possibilidade de ter um consultor financeiro.

Nessa hora, um consultor pode te ajudar a acumular patrimônio para viver uma vida cada vez melhor. Essa é a nossa verdadeira missão. Ajudar você a acumular patrimônio para que ele produza e te proporcione de fato a melhor qualidade de vida possível e não simplesmente que você transfira ele para seus herdeiros viverem uma vida boa e farta.

Leia também: Asset Allocation: o que saber sobre a melhor estratégia para os seus investimentos

Siga nosso Instagram: @overclubfamilyoffice

 

Compartilhe:

Publicado por

Walter Moreira Neto, CFP®

Graduado pela Macquarie University (Business) e Masters em International Business pelo International College of Management Sydney (ICMS), morou em Shanghai, China, onde concluiu sua tese "Real Estate in China" pela Fudan University.
Sócio-fundador do Overclub Family Office e Ryde Corretora de seguros, é Consultor de Valores Mobiliários autorizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Planejador Financeiro, CFP®️

Overclub Falily Office

Deixe um Comentário