As 7 Lições Financeiras do Round 6 da Netflix

Overclub Falily Office

O que um grupo de pessoas completamente desesperadas podem fazer para conseguir dinheiro? E mais ou menos esse o tema do Round 6 da Netflix ficou em primeiro em diversos pontos do mundo. E o tema de hoje são as sete lições financeiras do Round 6 da Netflix. Fica comigo, sou o Walter Moreira Neto, fundador do Over Club Family Office.

Se preferir, assista ao vídeo

Primeira lição:  evite apostas e esquemas de “fique rico rápido”

Vamos direto ao Round 6 então. Vamos falar das 7 lições financeiras. Para quem ainda não viu a série, Round 6 é um jogo onde as pessoas estão completamente desesperadas por dinheiro, e elas são convidadas a participar de uma competição onde no final o vencedor ganha um prêmio milionário, que dá para ele quitar todas as suas dívidas.

Esse jogo é baseado em brincadeiras infantis, mas quem não consegue ganhar os jogos morre. É bem intrigante a série! Mas, basicamente, qual é a primeira grande lição? Não entrar em jogos, apostas, não tente ganhar dinheiro de uma maneira rápida nesses esquemas do tipo “ganhe dinheiro rápido”.

Fique longe disso. O personagem principal, o Gi-hun entra em apostas, em um determinado momento da série ele vai apostar em cavalos e gasta o dinheiro dele todo com isso.

Você pode até pensar “talvez seja um pouco mais longe do meu círculo fazer apostas”, mas tem muita opção por aí de pirâmide financeira, de day trade, opções binárias, um monte de coisas que vai te afastar cada vez mais da construção de patrimônio.

Exemplos de pirâmide de com apostas de “ganhe 2% ao dia”. Para você ter uma ideia, 2% ao dia dá mais de 14.000% ao ano, ou seja, uma coisa completamente absurda.

Se você parar para pensar, você consegue inclusive pegar dinheiro no cartão de crédito para fazer esse tipo de investimento. Não faz o menor sentido! Esses cursos de day trade que ensinam a ganhar 1%, 2% ao dia, por semana, também. Isso é tudo balela!

O maior investidor do mundo ganha 1,53% de retorno. Será que realmente existe algum outro tipo de estratégia com consistência, com uma certa garantia e segurança que vai conseguir te entregar 2%, 3% ao dia? Provavelmente não.

Construção de patrimônio leva tempo

A construção de um patrimônio leva tempo. Vou pegar como exemplo as ações da Tesla. Todos conhecem a empresa do Elon Musk, de carros elétricos. Quem comprou as ações em junho de 2010 e conseguiu permanecer investido até hoje, o que é pouquíssimo provável, já que temos vieses comportamentais, segundo os quais creio que quase ninguém conseguiu ficar investindo nessa empresa durante tanto tempo, mas vamos supor que a pessoa seja uma pessoa super inteligente e consiga realmente lidar com todos os vieses comportamentais e permaneceu investido nas ações da Tesla desde de junho de 2010 até hoje.

Essa pessoa teve um retorno de 94000% em reais. Isso ao mês daria pouco mais de 5% e ao ano, alguma coisa em torno de 83%.  São R$ 10000 investidos em 2010 que gerariam por volta de 9,4 milhões hoje. Esses R$ 100000 investidos em 2010 seriam algo em torno de R$94 milhões. Mesmo esse investidor que foi superinteligente para uma empresa muito promissora 11 anos atrás levou 11 anos, ou seja, o patrimônio demora a ser construído.

Tome muito cuidado com essas promessas de “fique rico e rápido”. Isso normalmente acontece quando o mercado financeiro está em alta, as ações estão subindo, as pessoas estão ganhando dinheiro ou a economia está indo bem, os imóveis estão se valorizando, e você vê normalmente pessoas próximas a você ganhando dinheiro.

Talvez pessoas que você até julgue menos inteligentes que você ganhando muito dinheiro e você fala “será que eu também não posso entrar nessa?”. É nesse momento que pessoas inteligentes acabam caindo nesses cursos de day trade, opções binárias, fique rico e rápido, contratos garantidos em bitcoins e as coisas mais loucas possíveis que vemos por aí.

Ganhe 2% ao mês… As pessoas acabam caindo, pois é um viés do ser humano querer ficar rico rápido, por isso apostar é um ato tão famoso e faz sentido para muita gente.

Segunda lição: mantenha suas informações financeiras seguras.

Principalmente no Brasil, isso é muito importante. O personagem principal, Gi-hun, roubou o cartão de crédito da mãe dele e a senha era data de aniversário da neta. Não fale das suas questões financeiras em público, não fale por telefone, não abra e-mails estranhos e não faça download de arquivos desses e-mails.

Tome muito cuidado, escolha uma financeira que realmente zele pelos seus dados. Hoje temos a LGPD. Pense no seguinte: como que a instituição financeira, o seu banco, apresenta os relatórios para você?

Quando você olha o seu relatório ele tá com seu nome ou o número? Como será que essas informações financeiras circulam no banco, no dia a dia se você tem o seu nome lá no relatório? Talvez seja mais interessante ter o número, para que menos pessoas dentro do banco saibam sobre sua capacidade financeira.

Terceira lição: pague suas dívidas tóxicas.

Tóxicas porque existem alguns tipos de dívida, onde o custo da dívida é inferior a quanto você tem de retorno nos seus investimentos. Em um país como o Brasil, onde as taxas de juros são muito altas, são poucas as situações onde o custo da dívida é menor do que o retorno dos seus investimentos.

Posto isso, uma coisa em comum que todos os participantes têm é uma alta dívida. Então tome cuidado, fique longe dessas dívidas tóxicas, por exemplo, consumo, carro, viver, restaurante, viajar, tudo isso que dá prazer para gente não é uma coisa interessante, quando você olha no seu planejamento patrimonial.

Principalmente dívida de cartão de crédito, fique completamente longe disso. Use o cartão de crédito, ele é um instrumento espetacular, mas precisa saber usar. Não existe a opção de pagar o mínimo, pague a fatura completa.

O cartão de crédito é a forma de você comprar, assim como o dinheiro é uma forma de fazer uma transação. Aliás, no seu planejamento financeiro, se você tem um, e fizer um orçamento de gastos, não coloque uma linha cartão de crédito. O cartão de crédito é um “como”, é a forma que você paga.

Cartão de crédito

A exame fez uma pesquisa muito interessante onde ela falou quais eram os melhores cartões de crédito. Os melhores, nesse sentido da pesquisa, eram aqueles que cobravam o menor juros do rotativo do cartão de crédito.

Quem ganhou essa pesquisa foi um cartão do banco Inter, que cobrava apenas 143% ao ano – Lembrando que aquele investidor da Tesla, ao ano ganhou algo em torno de 83%, ou seja, os juros do cartão de crédito ganham bem mais do que o investidor da Tesla.

Assim, 100 reais de dívida em 10 anos se transformaram em mais 130000 reais de dívida. Isso, com o melhor cartão de crédito da pesquisa.

O pior na pesquisa, com o pior juros, foi o cartão do banco Pan com 747% de juros ao ano. 1 real de dívida não paga em 10 anos viraria 1900000 reais. Ou seja, se você precisa demais pegar uma dívida, pegue de outras formas.

Crédito pessoal, consignado, onde a taxa de juros é muito menor e não abusiva. Então você deveria pegar juros de outros lugares e refinanciar, trocando assim suas dívidas caras por dívidas mais baratas – isso se você precisar – O segundo passo é começar a pagar essas dívidas, começando da dívida mais cara até a mais barata.

Quarta lição: diversifique seus investimentos.

Um outro personagem característico da série, o Sang-woo em um determinado momento, os participantes estavam em uma prova e eles tinham que escolher entre estrela, guarda-chuva, círculo e triângulo.

Eles tinham que escolher entre as quatro formas e nesse momento o Sang-woo falou com o grupo “eu acredito que se escolhemos todos os mesmos, nós estaremos em um momento, em uma posição desfavorável”.

Ou seja, diversifique seus investimentos, não coloque todos os ovos na mesma cesta. Isso todos nós sabemos, mas nós acabamos, por não fazer isso por conta de dois pensamentos: o primeiro, segundo o qual se diversificarmos não vamos aumentar o retorno. E ao contrário, você consegue diversificar os seus investimentos e aumentar o seu retorno.

E o segundo, as pessoas diversificam de uma maneira errada, acabam comprando diversos investimentos e montando carteiras de investimento que são correlacionados, por exemplo, quanto você investe na bolsa de valores e você tem todo o seu patrimônio na bolsa, mas em algumas empresas, você está diversificando em uma única classe de ativos, que são ações.

Quando você é uma pessoa que gosta muito de imóveis você tem 2, 3, 4, imóveis, apesar de você estar diversificando, você ainda está dentro da mesma classe de ativos. Então existem formas distintas de diversificar o seu patrimônio, e a melhor delas, é procurar classes de ativos descorrelacionados. Em outras palavras, classes de ativos que independem uma da outra para se movimentar. Então uma ação, por exemplo, pode ser descorrelacionada com o dólar.

Normalmente quando a bolsa brasileira tem uma performance melhor, se você observar no mesmo dia provavelmente o dólar caiu. Então ter ativos diferentes faz com que a sua carteira diminua esse nível de oscilação e também outros tipos de risco, o risco de perda permanente de capital, outras coisas que podemos falar sobre.

Quinta lição:  Priorize o seu seguro de saúde.

Por que devemos fazer isso? Numa passagem da série, a mãe do personagem principal precisa ir ao hospital, mas não consegue terminar o tratamento justamente porque o filho tinha cancelado o seguro de saúde dela.

Então, independentemente do tamanho do seu patrimônio, seja você em fase de construção de patrimônio, seja você no momento em que já tem um patrimônio construído, é de extrema importância ter uma reserva de emergência e ter um bom seguro de saúde.

Um bom seguro de saúde não é aquele que te paga reembolso alto em consulta, mais sim aquele seguro saúde que te remunera caso alguma coisa aconteça com você, e precise ficar internado durante muito tempo.

O custo de saúde pode ser devastador para o patrimônio, se você tiver um seguro e, se você não tiver, pode ser a diferença entre a vida e a morte. De conseguir um tratamento adequado ou não. Muitas pessoas que eu conheço, que tem patrimônio alto, tem um bom seguro saúde, mas acabam por não ter um bom seguro-viagem. Então se você é uma pessoa que viaja, os custos de viagem, de hospitalização fora do país, são bem caros.

Sendo assim, as pessoas normalmente fazem um seguro qualquer, um seguro só para ter aquele Tratado de Schengen, se for pra Europa, ou um seguro-saúde qualquer que não cobre o que deveria cobrir.

Portanto, é importante que se faça um bom seguro saúde e nós recomendamos um que tenha cobertura para despesas médicas de pelo menos 250000 dólares ou euros, dependendo de onde você vai, para que você esteja de fato protegido. Olhe também e entenda se o seguro que você tem cobre o que você quer.

Existem algumas pessoas que vão, por exemplo, esquiar e fazem um seguro-viagem, mas não sabe se aquele seguro-viagem cobre ou não cobre um evento, acidente caso você esteja esquiando.

Alguns seguros que cobrem, mas a grande maioria não cobre. Então mais um ponto importante, mais uma lição para prestar mais atenção que é: tenha um bom seguro saúde que cubra grandes eventos, incluindo um bom seguro-viagem conto

Sexta lição: não utilize a alavancagem.

O segundo personagem principal, Sang-woo desviou o dinheiro de clientes e investiu em derivativos e mercado futuro e acabou perdendo 3 milhões. Ele ficou com uma dívida impagável e é por isso que ele entra no jogo, para tentar ganhar o prêmio, assim como os outros participantes.

Então não use alavancagem! Alavancagem é você controlar mais dinheiro do que de fato você tem. Então pegar R$ 100000 e investir no mercado futuro com uma alavancagem de 5x ao invés de você investir e ganhar retornos em cima de 100.000 você ganha em cima de 500.000.

Ou seja, você alavanca esse patrimônio em 5 vezes. Um exemplo, se você ganhar 20% em determinada operação, você vai ganhar 20% em cima de 500.000 e não em cima de 100.000, ou seja, ao invés de ter um retorno de 20%, você vai ter um lucro, uma apreciação de capital de 100%.

Nada mal, mas o contrário também é verdadeiro! Então se você tiver um prejuízo, se o investimento desvalorizar 20%, você acaba perdendo 100% do seu patrimônio. Então fique longe da alavancagem, porque a gente coloca no que chamamos de risco de ruína. É o risco que você tem de perder 100% do seu patrimônio, ou neste caso, até mais. Se o investimento caísse mais de 20% você seria chamado pela sua corretora, pelo seu banco para mais capital. Então fique completamente longe desse tipo de alavancagem, pois é bem prejudicial para sua carteira de investimentos.

O que normalmente as pessoas fazem, os investidores fazem quando eles vão fazer uma alavancagem, é o que chamamos de “worst case cenário”, que é justamente avaliar naquele ativo, naquele tipo de investimento, através de diversas simulações de Monte Carlo, como que seria o pior cenário possível.

Só que uma coisa que as pessoas não preveem nesse cenário, nessa análise, é que o pior caso é avaliado no pior caso que aconteceu até hoje. Então por exemplo, nesse investimento de 100 mil e alavanca em cinco vezes. Vamos supor que que o pior caso tenha sido de 5% de queda. Desde o início desse ativo até hoje, mas acredite que existem diversos piores cenários que ainda não aconteceram.

Na crise do subprime em 2008 não tinha um cenário onde os imóveis dos Estados Unidos valessem tão pouco. Tem diversos fatores, como por exemplo covid – as pessoas não imaginavam que a bolsa fosse cair tão rápido, isso nunca tinha acontecido. Agora nós temos um novo pior cenário.

Sendo assim, você pode ficar 10, 20, 30 anos alavancando sem que esse pior cenário aconteça até acontecer um novo pior cenário e você comprometer 100% do seu patrimônio e perder tudo. Então não há necessidade para alavancar, para que você consiga cumprir com seu planejamento patrimonial e alcançar os seus objetivos de vida.

A sétima e última lição: procure ajuda de um profissional.

Todos os participantes ou praticamente todos vivem da negação. Eles não reconhecem que estão com problemas, não conversam com seus familiares ou procuram ajuda de um profissional e tentam resolver tudo sozinhos.

Só que a forma que eles procuram resolver sozinhos é a pior possível, eles acabam se atolando muito mais em dívidas, ou vão para apostas como falamos no início. Pegam o dinheiro com agiotas, como aconteceu com o protagonista na série. Então por pior que seja se abrir e conversar com alguém, mesmo que sejam seus familiares ou procurar ajuda de um profissional, talvez seja, apesar de constrangedor, muito melhor do que você se afogar em dívidas, ter seu patrimônio completamente dilapidado e jogar fora provavelmente tudo que você sempre planejou por conta de dívidas impagáveis, como essa que te falei do cartão de crédito. Fique fora desse tipo de situação.

Se você gostou desse conteúdo e acha que ele foi válido para você, não se esqueça de compartilhar com alguém que você gosta.

Leia também: As 5 etapas para a liberdade financeira

Siga nosso Instagram: @overclubfamilyoffice

Compartilhe:

Publicado por

Walter Moreira Neto, CFP®

Graduado pela Macquarie University (Business) e Masters em International Business pelo International College of Management Sydney (ICMS), morou em Shanghai, China, onde concluiu sua tese "Real Estate in China" pela Fudan University.
Sócio-fundador do Overclub Family Office e Ryde Corretora de seguros, é Consultor de Valores Mobiliários autorizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Planejador Financeiro, CFP®️

Overclub Falily Office

Deixe um Comentário